Wordpress

WordPress: aprenda a instalar e começar um blog

Há na vida muitos exemplos de coisas que evoluíram de tal maneira, que assumiram usos diferentes daqueles para os quais foram criados, como por exemplo, os smartphones. Há sim quem os utilize intensamente para aquela que seria sua função original – realizar chamadas telefônicas. Mas na prática, a maioria usa para fazer compras na Internet, acessar suas redes sociais, para jogar, aplicativos de comunicação, entre outras funções.

Um outro exemplo, que assumiu com o tempo um caráter multifunção, foi o WordPress. Nascido como plataforma para criação e manutenção de blogs, aos poucos ganhou graças à criação de poderosos plugins, destinação a outros tipos de site, como sites institucionais, sites de conteúdo, sites de comércio eletrônico e por aí vaí.

Inclusive, muitos sites famosos e de grande visitação, são baseados na plataforma, como do grupo New York Times, da banda de Rock Rolling Stones, da fabricante de automóveis Mercedes Benz, da top model Gisele Bündchen, da Rádio Rock 89FM e mais uma lista que parece interminável, que demonstra a versatilidade deste poderoso CMS.

E como se não bastasse, ele ainda é uma ótima ferramenta para criar um blog, que é aquilo para que nasceu! É isso que vamos ver aqui.

Por onde começar?

Criar um blog, principalmente se o objetivo é que ele ganhe notoriedade e seja útil às pessoas que vão acessá-lo, não é diferente de muitas outras coisas que fazemos no âmbito profissional, ou seja, requer planejamento e método para proceder.

Antes de iniciar a criação propriamente dita, que envolve acessar a plataforma de desenvolvimento e começar a incluir conteúdo, há ações importantes as quais exigem atenção, sob risco de ver naufragadas suas pretensões.

Uma dica importante se você não faz a menor ideia do que fazer ou como começar, é ler o guia completo de como criar um blog, que nós preparamos e que contém detalhes minuciosos de todos os passos necessários àqueles que estão em sua primeira empreitada e não podem por qualquer razão, contar com o trabalho ou mesmo a assessoria de um web designer ou uma agência especializada.

Portanto, vamos partir do pressuposto que os primeiros passos foram dados e você está pronto para começar de fato a construção do seu blog e que consiste em realizar ações que já se refletem no site que tomará corpo daqui em diante. Vamos admitir também que o CMS escolhido foi o WordPress.

Assumindo as premissas anteriores como cumpridas, vamos começar a colocar a mão na massa.

Como instalar o WordPress?

O WordPress tem como uma de suas características principais, a facilidade de utilização e instalação e aqui há basicamente duas possibilidades: você ter que instalar manualmente ou utilizar um instalador automático de CMS. A segunda opção é a recomendada, uma vez que transforma um trabalho que pode exigir bastante tempo e alguns erros, em algo que exige no máximo dois minutos.

O mais comum, é que os bons planos de hospedagem ofereçam a segunda opção, o que dispensa o usuário de aprender mesmo que conceitos básicos e perca tempo valioso que pode ser utilizado em outras ações voltadas ao site.

Não abordaremos o processo de instalação manual, visto que podem haver peculiaridades em termos dos procedimentos necessários, em função do ambiente de hospedagem, como por exemplo, o processo de criação do banco de dados que será usado pelo WordPress.

Logo, imaginando que você tem um instalador, o mais comum é que o WordPress esteja disponível no painel de controle da sua hospedagem, em um item ou grupo de itens, que pode ser do Softaculous ou Installatron, que são os mais populares ou ainda em alguns não tanto ou cuja utilização é menor, como o Fantastico.

Ao clicar no ícone relativo à instalação, você é apresentado à primeira tela do processo de instalação e que é bastante simples e intuitivo.

Basicamente o processo consiste de fornecer as seguintes informações:

  • Onde deseja que a instalação seja feita e que pode ser diretamente vinculado ao domínio que foi configurado em sua conta de hospedagem, uma pasta / diretório do mesmo (ex: discosderock.com.br/blog) ou um subdomínio que deve ter sido previamente criado (ex: blog.discosderock.com.br);
  • Informe o nome do site. Digamos que seu domínio seja discosderock.com.br, então é provável que o nome do site seja “Discos de Rock”, sendo essa a informação a ser preenchida;
  • O campo seguinte refere-se à descrição do site, que no nosso exemplo, poderia ser: “Os discos mais importantes do Rock mundial”. Tanto esta, como a informação anterior, podem ser alteradas posteriormente na área administrativa e, portanto, não é necessária grande preocupação agora;
  • O usuário que será o administrador do blog e que deve ser informado toda vez que fizer login na área administrativa. Por padrão, ele vem como ADMIN. Por questões de segurança, é recomendável alterar e não utilizar coisas óbvias como seu nome;
  • Além do usuário, é necessário fornecer a senha, que juntamente com o usuário, serão exigidos a cada acesso ao painel de administração do WordPress. Também por razões de segurança, escolha uma boa senha, sendo que temos um artigo sobre como criar uma senha segura e de fácil memorização;
  • A próxima informação requirida e que é fundamental, é o endereço de e-mail do administrador e que entre outras utilidades, é usado quando se esqueceu ou perdeu os dados de acesso e é necessário redefinir a senha;
  • Escolha a linguagem a ser usada e que deve ser “portuguese”;
  • Os demais campos podem ser deixados em branco ou com as informações padrão, sendo que uma delas é a escolha do tema padrão a ser utilizado, mas esse é um recurso que pode ser alterado a qualquer momento após a instalação. A exceção é o último campo, no qual pode ser informado um e-mail – que geralmente é o mesmo do administrador – para o qual são enviados os dados de instalação assim que ela é concluída.

Ao clicar para realizar a instalação, geralmente em menos de dois minutos o WordPress estará instalado e pronto para utilizar e uma mensagem informando que a instalação foi realizada com sucesso, é exibida. Até mesmo poderá ser acessível e um site sem conteúdo estará visível.

Pronto, você já tem um blog criado! Não poderia ser mais fácil. Naturalmente não há conteúdo no blog ainda, mas toda a estrutura a partir da qual você poderá incluir as postagens relativas ao assunto ou assuntos que irá tratar, está pronta para ser usada.

Você pode e deve aos poucos pesquisar quais plugins instalar para conferir funcionalidades que ajudam na sua administração do conteúdo, na forma como os mecanismos de busca enxergam esse conteúdo e o trabalho de SEO, bem como nas facilidades e recursos que seus visitantes irão dispor ao acessar seu blog.

O outro ponto de atenção, é a personalização, a qual deve estar alinhada com o tipo de conteúdo e temas – em termos de conteúdo – que você irá disponibilizar e para isso, há muitos temas – neste caso é aparência – gratuitos e pagos para WordPress, que ajudam a mudar significativamente o aspecto visual do blog e que no final é fundamental para construir uma identidade própria.

E se não fosse suficientemente simples e prático, já há no mercado de hospedagem de sites, planos de hospedagem WordPress, que são modelados de forma a oferecer um ambiente especialmente otimizado para acomodar sites baseados no famoso CMS e que fornecem até mesmo um suporte técnico especializado em questões envolvendo a plataforma.

Conclusão

Criar um site baseado em WordPress, não é nenhuma novidade, o que é atestado pela enorme quantidade de sites, incluindo de empresas, marcas e personalidades, que tem no CMS sua base de desenvolvimento. E se ele é tão bom para todo tipo de site, é melhor ainda para a finalidade que ele nasceu, que são os blogs, representando uma ferramenta extremamente simples e prática em termos de instalação e de utilização.

Author

admin

Leave a comment

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Precisa de ajuda? Converse conosco